Modelo de Escola Interativa começa a funcionar – 24/07/2014

A primeira unidade modelo do Programa Escola Interativa começa a funcionar na próxima segunda-feira (28). É a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Professora Mariana Teixeira Cornélio, na Vila Dirce, região do Jardim Telespark, que vai colocar em prática uma nova dinâmica no processo de aprendizagem que une tecnologia e pedagogia. A escola, localizada na região norte, irá trabalhar com 16 salas interativas.

O Programa Escola Interativa será implantado na rede municipal de ensino de São José dos Campos de forma gradual até 2016. Cada sala de aula será equipada com os seguintes recursos tecnológicos: servidor, notebook do professor, tablet do aluno, projetor interativo integrado com os demais equipamentos e conteúdo virtual obtido por meio de acesso à internet via wifi.

Os primeiros tablets para os alunos serão entregues pela Prefeitura neste sábado (26), às 10h, na EMEF Mariana Teixeira (Rua Benedito Pereira Lima 200). São 453 equipamentos destinados aos alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental que serão utilizados mediante contrato de comodato assinado pelos pais ou responsáveis.

O secretário de Educação explica que os conteúdos poderão ser apresentados e ministrados de forma dinâmica no Projetor Interativo e os alunos poderão interagir com colegas, professor e com o próprio conteúdo.

“A sala de aula será aberta para um novo universo de possibilidades, podendo levar o aluno para o mundo ou trazer o mundo para dentro da sala, totalmente interligados e de acordo com a política educacional”, afirmou.

Testes de segurança

Nesta quinta-feira (24), uma equipe da Secretaria de Educação e técnicos de informática convidados fizeram uma demonstração do sistema de segurança dos tablets, no Centro de Formação do Educador (CEFE) Professora Leny Bevilacqua.

Os tablets de cada aluno poderão ser monitorados pelo professor em sala de aula e, sempre que necessário, poderão ser bloqueados e inutilizados no caso de furto ou roubo do equipamento. O desbloqueio será possível somente por meio da Secretaria de Educação.

“A escola modelo servirá para refinarmos o programa, tanto nas questões administrativas, pedagógicas e operacionais”, disse João Borges, gerente do setor de informática da Secretaria de Educação.

Comunidade conhece o programa

Na primeira etapa, o projeto prevê a implantação de 566 salas interativas em 41 escolas de Ensino Fundamental. O programa contempla a entrega de um tablet por aluno do 6º ao 9º ano, somando 18 mil equipamentos entregues.  Esses tablets terão conteúdos pedagógicos básicos instalados, estarão interligados via wifi e serão monitorados e integrados ao servidor da sala de aula e ao notebook do professor.

O programa também contempla a inclusão da comunidade, permitindo o acesso das famílias às novas ferramentas tecnológicas para apoio e incentivo aos alunos. Foi o que já aconteceu na escola modelo EMEF Mariana Teixeira, no início da semana, quando os pais puderam conhecer o programa na prática e esclarecer dúvidas.

O programa foi bem aceito pelos pais, como para o casal Andréa e Roberto Carlos Pereira, que são pais da Isabela, 12 anos, e da Maria Eduarda, 12 anos. “É um grande incentivo à tecnologia e vai ajudar bastante nos estudos”, disse Andréa.

Quem também aprovou o programa foi a dona de casa Simone Silva Adriano, mãe dos alunos Daniel, 12 anos, e Felipe, 8 anos. “Achei muito interessante, irá incentivar os estudos e ainda facilitar a comunicação com o professor”, afirmou.

Desde o lançamento, a equipe da Secretaria de Educação realizou mais de 30 apresentações do Programa Escola Interativa para diversos segmentos da sociedade, como representantes de escolas públicas e particulares, imprensa, universidades, sindicatos, conselhos municipais, vereadores, empresários e organizações representativas da sociedade. O objetivo foi divulgar os detalhes do programa, ouvir opiniões e esclarecer dúvidas.