Publicado em 08/10/2015

Sala de aula é lugar de tecnologia sim!


http://blogdoarmindo.com.br/2015/09/sala-de-aula-e-lugar-de-tecnologia-sim-tablets-projetores-e-o-programae-fazem-parte-da-aula-em-sjc/

Depois da falar sobre o LEDI e o uso de informática em sala de aula na rede pública municipal de São José dos Campos faltou o óbvio: ir visitar uma escola. Eu só não tinha feito isso antes porque quando comecei a procurar mais sobre o tema já eram férias escolares.

Foi então que com o apoio da equipe de comunicação da prefeitura de São José dos Campos consegui visitar a EMEF Professora Palmyra Santanna. E faço questão de ressaltar isso porque para maioria das prefeituras blogueiro (mesmo sendo jornalista e tendo MtB como é o caso) não é imprensa, mas em São José dos Campos pelo menos a Educação dialoga comigo o que já é um bom passo :)

Mas aí então combinei de ir até a escola. Minha intenção era ficar o menor tempo possível e atrapalhar o menos possível o trabalho dos professores. Como eu sou professor também eu sei o quanto um elemento estranho pode causar de transtorno numa aula ou atrapalhar a aula planejada. Então optei por ficar no papel de observador num cantinho da sala.

Interior da escola. Foto: Antônio Basílio - Prefeitura Municipal de São José dos CamposInterior da escola. Foto: Antônio Basílio – Prefeitura Municipal de São José dos Campos

Não se engane a foto ali embaixo com uma carteira com um tablet não é numa escola cara, é na rede municipal pública de ensino no bairro Vila Industrial.

IMG_20150910_143017_HDR

E na parede da sala tem um projetor multimídia super interativo e tudo conectado à internet em alta velocidade.

IMG_20150910_143836_HDR

A atividade que eu acompanhei era assim: a professora passou um vídeo do Youtube do saci-pererê. Depois um software chamado Classroom dispara um questionário previamente criado pela professora sobre o vídeo. Perguntinhas simples sobre a compreensão da narrativa.

 

IMG_20150910_141650_HDR

Da sua mesa o professor consegue acompanhar o desempenho dos alunos. Quem está disperso e ainda não começou a preencher a atividade é advertido. E também é possível ver quais alunos acertaram e quais erraram o questionário – assim o educador pode agir de forma pontual num determinado tema.

IMG_20150910_142150_HDR

IMG_20150910_143757_HDR

A presença de um técnico em multimeios didáticos é fundamental, ele fica lá acompanhando os professores o tempo todo quando dá problema e de fato eles acontecem.

Alguns alunos acabam esquecendo de levar o tablet então a saída é sentar com os coleguinhas.

IMG_20150910_143047_HDR

A EMEF Professora Palmyra Santanna tem 45 professores equipados com seus notebooks e 850 alunos já participam do programa com tablets. Ao todo são 12 projetores em salas de aula.

IMG_20150910_143053_HDR

Um dos alunos que falou comigo foi o Cauê, ele me disse que gosta muito de usar o tablet e acha mais legal que os livros. Eu perguntei para ele se não era mais legal jogar – dando uma provocada na relação tablet brinquedo x tablet educacional – e ele me corrigiu: “dá para aprender também jogando e aí fica mais legal”. De fato games educacionais são excelentes para o aprendizado. Parabéns Cauê nota 10 para você!

gatopolis

É o caso do Gatópolis da Fundação Lemann que ensina língua portuguesa brincando – ferramenta adotada pelo sistema público de São José dos Campos, assim como o Programaê! – que estimula o ensino de programação para jovens e uma iniciativa da Fundação Lemann com a Fundação Telefonica Vivo. Aprender programação tem vários benefícios uma vez que envolve várias competências entre elas matemática e raciocínio lógico.

As professoras também acham que a tecnologia ajudou muito no processo ensino-aprendizagem e o que mais me chamou a atenção foi a rápida conversa que tive com a diretora no final da visita. Ela me disse que os alunos mudaram também o comportamento: estão mais calmos e quando há uma folga – uma aula cancelada ou janela como se dizia no meu tempo – eles vão pro laboratório de informática estudar – sim isso mesmo estudar.

IMG_20150910_144220_HDR

Isso porque além das salas tem um espaço onde os alunos podem usar ferramentas educacionais como o Khan Academy – parceiro do Programaê!. Falei também com uma aluna que usa com frequência o Khan Academy para estudar matemática. Ela disse que se sente mais preparada para as provas e que as vezes chega na aula já sabendo todo conteúdo que será apresentado.

IMG_20150910_144225_HDR

Quem é da área de educação irá identificar vários novos conceitos sendo aplicados em São José dos Campos: aula hibrida, adaptive learning, flipped classroom. Tá tudo aí mas de um jeito mais orgânico e menos pomposo – que bom.

O programa ainda carece de uma maturidade tecnológica de todos os atores: secretaria, escolas, professores e alunos. Mas aí não tem jeito né, só se tem maturidade fazendo, errando e tendo tempo pra rodar novas propostas. Também há falta ainda de projetos estruturados com apresentações de resultados tangíveis, como feirinhas de ciências que mostrem os avanços das crianças nas tecnologias ou exposições de trabalhos digitais – mas sinto que o programa em São José dos Campos caminhará para isso. Não há sistema educacional perfeito e não há uma implantação dessa proporção sem dor de cabeça. Vai ter problema na internet, nos tablets, na adoção dos professores e da família. Mas alguém aí duvida que é um caminho sem volta?

Eu fui lá ver, e o que eu vi é um grupo de educadores querendo que tudo dê certo e crianças querendo aprender e se preparar para criarem seu mundo. E vi uma escola muito bacana, colorida, diferente e não vou mentir: ver ali duas crianças sentadinhas com um tablet numa escola pública me deixou emocionado. E é essa carteira de ensino que toda criança deveria ter:

IMG_20150910_142359_HDR

O Programa Escola Interativa

Programa Escola Interativa fez um ano em julho passado. São 240 salas interativas em Escolas de Ensino Fundamental de um total de 600 (portanto 40% do total) que atendem 37.332 alunos de um total de 57.713 (64%). São 17 EMEFS (Ensino Fundamental) de um total de 46.

Há ainda 64 EMEIS (Salas de Leitura Interativa da Educação Infantil) de um total de 73. A primeira fase de implantação já equipou com notebooks mais de 3.300 professores, tanto do Ensino Fundamental como da Educação Infantil. Ao todo, foram entregues 18.732 tablets entre o Ensino Fundamental e Salas de Leitura Interativa da Educação Infantil. A internet por fibra ótica irá conectar todas as escolas.

O recém inaugurado LEDI – Laboratório de Educação Digital e Interativa – polo de cultura tecnológica voltada à comunidade escolar já atendeu mais mil pessoas desde sua inauguração.

Publicado em 01/10/2015

Revista Escola Publica – Setembro 2015


Publicado em 30/09/2015

Presidente da Telebras vem a São José conhecer a ‘Escola Interativa’ – 18/09/2015


O presidente da Telebras, Jorge Bittar, conheceu na manhã desta sexta-feira (18) o Programa Escola Interativa que vem sendo implantado na rede municipal de ensino de São José dos Campos. A empresa trabalha com uma rede de distribuição de informações (CDN) que, em parceria com o Ministério da Educação, deverá levar conteúdos pedagógicos às escolas brasileiras.

Para Bittar, o modelo implantado na cidade é referência nacional. “São José dos Campos é pioneira no programa, não existe outro local no país que já trabalhe de forma tão integrada e voltada para professores, alunos e comunidade. É, realmente, uma Escola Interativa, o modelo que buscamos”, ressaltou.

O interesse do presidente da Telebras em conhecer o programa surgiu após a participação do prefeito em um encontro no Senado Federal, em Brasília, em julho passado, que debateu a universalização da banda larga no país.

Na ocasião, o prefeito foi convidado pela Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado para apresentar o projeto implantado na rede municipal de ensino.

O Programa Escola Interativa promove a integração da tecnologia como ferramenta do processo de ensino e aprendizagem. Isso é feito por meio da utilização de notebooks pelos professores, projetores interativos nas salas e tablets para os alunos. Tudo integrado por meio de uma rede com antenas wi-fi e um servidor com velocidade de conexão que varia de 10 Mbps a 30 Mbps.

Modelo inédito

A visita  teve a presença do chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, Marcos Rogério de Souza. A Prefeitura de São Paulo também trabalha com projetos que unem pedagogia e tecnologia e manifestou interesse na Escola Interativa. “São José é hoje referência para área de Educação”, afirmou Souza.

Eles foram acompanhados pelo prefeito e pelo secretário de Educação. A comitiva visitou a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) “Professor Moacyr Benedito de Souza”, no Campo dos Alemães, região sul, onde pôde conhecer de perto o funcionamento do programa nas salas de aula.

Para o prefeito, o nível de reconhecimento dos visitantes é motivo de orgulho para a cidade. “Esse interesse demonstra o reconhecimento da relevância e inovação que a Escola Interativa significa”, disse o prefeito.

A comitiva seguiu para o LEDI (Laboratório de Educação Digital e Interativa), que é o centro de inteligência da Escola Interativa. No local, os visitantes tiveram uma ampla explanação sobre o programa.

Convidada para representar os educadores da rede municipal, a professora Sueli Rodrigues Simões Horak, da EMEF “Professora Otacília Madureira de Mora”, na região sudeste, contou sobre sua experiência e ressaltou os benefícios da Escola Interativa para os estudantes. “Os alunos ficaram mais interessados, houve um aumento no rendimento escolar e diminuição da evasão”, afirmou.

Escola Interativa

O Programa Escola Interativa é um novo processo de aprendizagem, unindo tecnologia e pedagogia, que vem sendo implantando na rede municipal de ensino de São José dos Campos. O programa foi lançado em julho de 2014.

Até o momento, a Escola Interativa foi implantada em 17 Escolas de Ensino Fundamental (EMEFS) e em 64 Salas de Leitura Interativa nas escolas de Educação Infantil.

O programa prevê a implantação de salas interativas nas 46 EMEFS da rede e em 73 Salas de Leitura Interativa da Educação Infantil, até o final de 2016. No início de agosto, a Prefeitura inaugurou o LEDI na região sul da cidade.

O Laboratório funciona em parceria com renomadas instituições, como Unifesp – Campus de São José dos Campos, Centro de Tecnologia da Informação (CTI) Renato Archer, de Campinas, Fundação Lemann e Parque Tecnológico.

Com o acompanhamento de uma equipe especializada, estão sendo realizadas inúmeras atividades, desde cursos de inclusão digital, educação tecnológica, técnicas de programação e até o desenvolvimento de softwares pedagógicos.

Desde sua implantação, o LEDI vem funcionando em ritmo acelerado, com atividades junto aos educadores e alunos da rede municipal, assim como cursos e oficinas abertas à comunidade.

 

 

Publicado em 15/09/2015

Espaço para educação digital – Jornal O Vale – 13/09/2015


Publicado em 15/09/2015

Laboratório de Educação Digital disponibiliza cursos à comunidade – 21/08/2015


O Laboratório de Educação Digital (LEDI), da Prefeitura de São José dos Campos, está com vagas abertas para três cursos na área de informática: PowerPoint, Movie Makere Inclusão Digital. Os cursos são gratuitos, abertos à comunidade e ocorrerão no LEDI (Rua Tsunessaburo Makiguti, número 157), no bairro Floradas de São José, região sul.

As inscrições podem ser feitas pelo ícone Curso Digital – Escola Interativa, na página da Secretaria de Educação no site da Prefeitura de São José.

O curso de PowerPoint, que é um programa utilizado para criação, edição e exibição de apresentações gráficas, tem início na próxima sexta-feira (28), com duas turmas: das 8h às 10h30 e das 14h às 16h30. A carga horária é de dez horas.

O curso de Inclusão Digital, que abordará a informática básica, começa no dia 12 de setembro, das 8h às 10h30, com carga horária de 20 horas.

Já o Movie Maker, programa para edição de vídeos, tem início no dia 23 de setembro, com duas turmas: das 8h às 10h30 e das 14h às 16h30. A carga horária é de dez horas.

Os cursos são certificados pela Unifesp e Secretaria Municipal de Educação. As vagas são limitadas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3931-7546.

Capacitação de professores

O Laboratório de Educação Digital (LEDI) oferece ainda dois cursos específicos para os professores da rede municipal de ensino de São José: HetchBoard e Ensino Híbrido.

O curso de HetchBoard, ferramenta interativa destinada ao profissional de ensino para apresentações multimídias, tem início na próxima quarta-feira (26), com duas turmas: das 8h às 10h30 e das 14h às 16h30. A carga horária é de dez horas. A certificação é da Unifesp e Secretaria Municipal de Educação.

O curso de Ensino Híbrido, que possibilita a integração das tecnologias digitais ao currículo escolar, será on-line com início em setembro, com certificação da Fundação Leman.

Os educadores da rede municipal podem se inscrever pelo ícone Curso Digital – Escola Interativa, na página da Secretaria de Educação no site da Prefeitura.

Publicado em 15/09/2015

LEDI oferece curso “Reflexões sobre sociedade digital” aberto à comunidade – 07/08/2015


A Prefeitura de São José dos Campos abre as portas do LEDI (Laboratório de Educação Digital e Interativa, nesta segunda-feira (10), das 19h às 21h, para o primeiro curso gratuito aberto à comunidade. Com o tema “Reflexões sobre a sociedade digital”, o curso é realizado em parceria com a Unifesp.

Serão promovidos quatro encontros: dias 10, 17, 24 e 31 de agosto, sempre das 19h às 21h, nas instalações do LEDI (Rua Tsunessaburo Makiguti, 157), no bairro Floradas de São José, região sul da cidade.

Os interessados devem se inscrever pelo ícone curso digital, na página da Secretaria de Educação ou no local.

O tema abordará a sociedade atual e o uso da tecnologia no dia a dia. O conteúdo envolve assuntos como sociedade da informação, inovação tecnológica, tecnologias digitais e ferramentas digitais aplicadas na Educação.

O curso será certificado pela Unifesp e Secretaria Municipal de Educação. Mais informações pelo telefone 3931-7546.

Sobre o LEDI

O LEDI, inaugurado pela Prefeitura no dia 3 de agosto, é um centro de inteligência do Programa “Escola Interativa”, que funcionará em parceria com renomadas instituições: Unifesp – Campus de São José, Centro de Tecnologia da Informação (CTI) Renato Archer, de Campinas, Fundação Lemann e Parque Tecnológico.

O Escola Interativa é um novo processo de aprendizagem que une tecnologia e pedagogia, que vem sendo implantando na rede municipal de ensino de São José desde julho do ano passado.

Até o momento, a Escola Interativa foi implantada em 17 Escolas de Ensino Fundamental (EMEFS) e em 63 Salas de Leitura Interativa nas escolas de Educação Infantil. O programa prevê a implantação de salas interativas nas 46 EMEFS da rede.

No Laboratório de Educação, serão realizadas atividades de Inclusão Digital, Educação Tecnológica e Técnicas de Programação, dentre outras.

As atividades serão disponibilizadas aos educadores da rede, alunos e comunidade em geral.

Publicado em 15/09/2015

Prefeitura inaugura Laboratório de Educação Digital e Interativa – 03/08/2015


A Prefeitura de São José dos Campos inaugurou na manhã desta segunda-feira (3) o LEDI (Laboratório de Educação Digital e Interativa). Um centro de inteligência do Programa “Escola Interativa”, que funcionará em parceria com renomadas instituições: Unifesp – Campus de São José, Centro de Tecnologia da Informação (CTI) Renato Archer, de Campinas, Fundação Lemann e Parque Tecnológico.

O LEDI foi instalado nas dependências do Cedemp (Centro de Educação Empreendedora), no bairro Floradas de São José, região sul da cidade. A cerimônia de abertura contou com apresentações do Clube do Choro Pixinguinha da Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR) e Coral da Secretaria de Educação, que encantaram o público.

Na ocasião, as parcerias foram firmadas entre o prefeito e os representantes das instituições: diretor da Unifesp, Luiz Leduíno de Salles Neto; diretor-presidente do Instituto Lemmann, Denis Fernando Mizne; Victor Pellegrini Mammana, diretor do CTI Renato Archer; e o diretor geral do Parque Tecnológico.

O prefeito fez uma explanação sobre o programa, ressaltou a importância da tecnologia em sala de aula e agradeceu o apoio das primeiras instituições parceiras. “O Programa Escola Interativa está dando aos professores a possibilidade de revolucionarem suas aulas, tornando-as mais dinâmicas e participativas”, afirmou. “Não trata-se de um programa de governo, mas voltado para a qualidade da rede municipal de ensino e da cidade”, acrescentou.

Entusiasmados com o novo desafio, os parceiros foram unânimes em elogiar a iniciativa da Prefeitura e ressaltar a contribuição do programa para as gerações futuras. “São José dos Campos está à frente, não conheço nenhum projeto no Brasil com essa plenitude. Abraçamos esse projeto no primeiro momento”, afirmou o diretor do CTI Renato Archer, Victor Pellegrinni Mammana.

Professora da rede há dez anos, Cibele Alves, que atua na EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Professora Maria Ofélia Veneziani Pedrosa, também elogiou o programa e a implantação do LEDI. “A tecnologia vem para aguçar o interesse da criança pelos estudos, essa geração já está inserida no mundo da tecnologia e a sala de aula precisa acompanhar essa evolução para não fazer com que esse interesse pelo estudo acabe”, disse.

O que é o LEDI

O LEDI está inserido no Programa Escola Interativa, um novo processo de aprendizagem que une tecnologia e pedagogia que vem sendo implantando na rede municipal de ensino de São José. O programa completou um ano de criação em julho.

Até o momento, a Escola Interativa foi implantada em 17 Escolas de Ensino Fundamental (EMEFS) e em 63 Salas de Leitura Interativa nas escolas de Educação Infantil. O programa prevê a implantação de salas interativas nas 46 EMEFS da rede.

Para o secretário municipal de Educação, o LEDI é o ‘cérebro’ do Programa Escola Interativa. “Um grande programa empreendedor desse governo para a cidade”, enfatizou.

No Laboratório de Educação, serão realizadas atividades de Inclusão Digital, Educação Tecnológica e criação de conteúdo educativo digital, inclusive aplicativos e jogos pedagógicos que serão instalados nos tablets.

Além disso, serão oferecidos cursos de técnica de programação –como as linguagens de Scratch e Python. O objetivo é que os alunos sejam capazes de escrever pequenos programas de computador.

A equipe da Fundação Lemann vai dar continuidade à implantação das plataformas Kan Academy, Programaê! e Ensino Híbrido, recursos tecnológicos que já vêm sendo utilizados com sucesso por alguns professores em salas de aula.

As oficinas do LEDI serão disponibilizadas aos educadores da rede, alunos e posteriormente serão abertas à comunidade em geral.

Publicado em 15/09/2015

Programa Escola Interativa da Prefeitura é destaque no Senado – 07/07/2015


A Escola Interativa foi um dos destaques da audiência que debateu a universalização da banda larga no país, realizada nesta terça-feira (7) no Senado Federal, em Brasília. O programa da Prefeitura de São José dos Campos foi apresentado pelo prefeito.
O encontro foi convocado pelo presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado, Cristovam Buarque. O prefeito demonstrou os avanços proporcionados pela Escola Interativa, implantado em julho do ano passado na rede municipal de São José.
“Apresentamos as inovações que já alcançamos com o programa Escola Interativa. Em vídeos feitos pelos próprios professores já podemos ver como a tecnologia se integra à sala de aula com naturalidade pelas crianças, que já nasceram neste mundo digital”, explicou.
O programa promove a integração da tecnologia como ferramenta do processo de ensino e aprendizagem. Isso é feito por meio da utilização de notebooks pelos professores, projetores interativos nas salas e tablets para os alunos. Tudo integrado por meio de uma rede com antenas wi-fi e um servidor com velocidade de conexão que varia de 10 Mbps a 30 Mbps.
A iniciativa foi elogiada na audiência pelo presidente da Telebras, Jorge Bittar. “O que há de antigo? Levar internet para as escolas ou dar computadores e tablets para os alunos. Mas são experiências fragmentadas. O que há de novo? A experiência de São José dos Campos, numa estrutura sistêmica, integrando tudo, com capacitação, mudando a realidade da escola”, afirmou.
O sistema já está em 238 salas de 17 escolas de Ensino Fundamental, onde mais de 17 mil alunos receberam tablets e foram beneficiados. Já na Educação Infantil, cada escola recebe uma sala interativa, com projetor e 32 tablets para uso pedagógico. Nesta faixa de ensino, 59 unidades e mais 17 mil alunos já foram beneficiados.
Os professores também foram capacitados e receberam 3.200 notebooks. A meta é que o Programa seja implantado em todas as escolas da rede municipal, atendendo 62 mil alunos do Educação Infantil e Ensino Fundamental, até fim de 2016.
Para o presidente do colegiado, senador Cristovam Buarque, a exemplo do que está em andamento nas escolas de São José, o quadro-negro deve ser aposentado. “Quadro-negro tem que ir para o museu, é como carruagem”, disse Buarque.

Publicado em 14/09/2015

Escola Interativa presente no Arena Game Show – 03/07/2015


O Programa Escola Interativa da Prefeitura de São José dos Campos não ficou de fora da Arena Game Show, evento de jogos eletrônicos que ocorre neste fim de semana, sexta-feira (3), sábado (4) e domingo (5), das 10h às 22h, no Expo Vale Sul (Avenida Andrômeda, 220), no Jardim Satélite. O objetivo do evento é mostrar as novidades do mundo dos games.

Segundo a chefe do Ensino Profissionalizante, Roseli Ferreira, a ideia é mostrar para a população a tecnologia que já está sendo implantada nas salas de aula da rede municipal por meio da Escola Interativa. “O espaço mostra o que já está sendo usado e as novidades que estaremos implantando”, ressalta.

Com a utilização da lousa interativa, o público tem acesso a um programa de animação que permite criar personagens. Já a área dos tablets disponibiliza oito aplicativos de jogos pedagógicos, que auxiliam no aprendizado. Alguns deles ainda em fase de teste, como é o caso do Hand Talk, que será utilizado para ajudar alunos com necessidades especiais.

O destaque fica por conta da Prancha Interativa, que reúne uma Central Multimídia Interativa Educacional e uma Plataforma Phet, desenvolvida pela Universidade do Colorado (USA), que propõe divertidas e interativas simulações baseadas em pesquisas educacionais e videoconferências.

A Prancha também conta com um programa de realidade aumentada, que transforma imagens impressas em 3D para a tela.

O espaço do Programa Escola Interativa está localizado dentro do estande da Prefeitura, que conta com várias atrações tecnológicas.

Publicado em 14/09/2015

Programa Escola Interativa já abrange 200 salas em SJC – 29/11/2014


O programa Escola Interativa alcançou neste sábado (29) a marca de 17 escolas atendidas e mais de 200 salas interativas instaladas no Ensino Fundamental da rede pública de São José dos Campos, somando quase 14 mil estudantes beneficiados.
O novo sistema de aprendizagem chegou desta vez à Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Jacyra Vieira Baracho, no Jardim Veneza, região sul da cidade. Na unidade, que passa a contar com 12 salas interativas, serão contemplados pelo programa 464 estudantes do 5º ao 9º ano e 312 do 1º ao 4º ano.
Desde que começou, no final de julho, o programa já apresenta os primeiros resultados no desempenho dos estudantes, que afirmam que as aulas estão mais interessantes e dinâmicas.
Na EMEF Jacyra Vieira Baracho, a diretora Cleusa das Dores Moraes Silva elogiou a iniciativa e disse aos mais de 400 pais presentes à entrega de tablets deste sábado que o programa vai fazer a diferença no aprendizado dos estudantes.
O prefeito ressaltou a importância da participação dos pais no acompanhamento escolar. “Da mesma forma que vocês acompanham hoje os cadernos, as tarefas, nós queremos que vocês passem a fazer o mesmo com o tablet.”
Neste sábado, foram entregues tablets aos alunos do 5° ao 9° ano da unidade. Márcia da Silva Nogueira elogiou o programa e disse que vai ajudar no estudo da filha Alice, do 6° ano da escola, nos trabalhos de casa. “É um avanço para todos.”
Anderson Garcia, pai do menino Pedro, também do 6° ano, tem a mesma opinião. “A informática e a tecnologia fazem parte do nosso cotidiano. Então esse programa veio agregar ainda mais aos estudos.”
O programa
Até o final do próximo ano, toda a rede pública de ensino de São José dos Campos poderá contar com o programa, que irá beneficiar mais de 33 mil alunos do Ensino Fundamental.
Cada sala de aula será equipada com os seguintes recursos tecnológicos: servidor, notebook do professor, tablet do aluno, projetor interativo integrado com os demais equipamentos e conteúdo virtual obtido por meio de acesso à internet via wifi.
Os tablets dos alunos são monitorados pelo professor em sala de aula e, sempre que necessário, podem ser bloqueados e inutilizados no caso de furto ou roubo do equipamento. O desbloqueio é possível somente por meio da Secretaria de Educação.

Publicado em 14/09/2015

Equador quer Programa Escola Interativa como modelo de ensino – 14/11/2014


O Equador planeja adotar o programa Escola Interativa como modelo de ensino. Nesta sexta-feira (14), o vice-ministro da Educação, Fredy Penãfiel, e o cônsul geral do país em São Paulo, Wladimir Vargas, conheceram o sistema implantado pela Prefeitura de São José dos Campos.

Eles foram recebidos pelo prefeito no Paço Municipal e depois seguiram para a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Geraldo de Almeida, no bairro Pousada do Vale, zona leste da cidade. A escola é uma das 15 unidades de ensino fundamental que já contam com o programa. A diretora de Conteúdos Educacionais do Ministério da Educação, Mônica Franco, também participou da visita.

A comitiva assistiu uma aula de geografia. Eles interagiram com os alunos e tiveram uma amostra do potencial do programa. A Escola Interativa, uma iniciativa que une tecnologia e pedagogia, foi lançada em julho deste ano na rede municipal de ensino. O projeto será implantado de forma gradual até o fim de 2015.

As salas de aula contam com servidor, notebook do professor, tablet do aluno e projetor interativo. Os equipamentos são integrados via wifi e com sinal de internet banda larga. “Temos um projeto, que se chama Escola do Milênio, que inclui a tecnologia. Mas sabemos que aqui o trabalho está mais avançado”, avaliou Peñafiel.

Durante a aula, o cônsul do Equador aproveitou o projetor interativo para mostrar aos alunos um pouco da geografia do país. “Nós queremos um intercâmbio, com professores do Equador vindo para São José e professores daqui indo para o Equador”, disse Vargas.

Para o prefeito, essa troca de experiências vai aprimorar o programa. “Essa visita mostra que estamos construindo algo positivo que pode ser aproveitado em outros lugares. Mas outros países também têm experiências interessantes, que a gente pode aproveitar”, explicou.

MEC

Na avaliação da diretora do MEC, o programa Escola Interativa será referência na implantação de projetos semelhantes. “É um projeto de grande porte. A gente não tem similar ainda, eu desconheço. Tem tudo para ter um resultado positivo. Conversei com alguns alunos, e a gente percebe a mudança no interesse pelo aprendizado”, afirmou Mônica Franco.

A mudança é confirmada pela diretora da EMEF Geraldo de Almeida, Débora Coelho Nunes. “Os alunos participam mais. Eu tenho certeza de que isso já vai trazer reflexos no próximo Ideb. A Geraldo de Almeida era uma escola antes do tablets, e agora é outra”, disse.

Os tablets são monitorados pelo professor em sala de aula. Eles podem ser bloqueados e inutilizados no caso de furto ou roubo do equipamento. O desbloqueio é possível somente por meio da Secretaria de Educação.

Antes da entrega dos tablets aos alunos, os pais participam de reuniões na escola para apresentação do programa, conhecimento das regras de utilização correta do equipamento e uso ético da internet.

Cooperação

O interesse do Equador pela Escola Interativa começou após a visita do presidente do país, Rafael Correa, que esteve em São José em julho e assistiu uma apresentação sobre o programa.

O Equador está implantando um centro de tecnologia e ensino no país: Yachay, a “cidade do conhecimento”. São José e o Parque Tecnológico são modelos que vão ajudar no desenvolvimento do projeto.

São José e o Yachay firmaram um termo de cooperação, com o objetivo de identificar oportunidades de parcerias nas áreas de desenvolvimento econômico, ciência e tecnologia.

 

Publicado em 14/09/2015

Pais vão para escola com os filhos e aprendem a usar tablets – 30/10/2014


O que era para ser uma simples reunião de pais se tornou uma atividade pedagógica, que contribuirá ainda mais para a integração de alunos, pais e professores da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Prof. Moacyr Benedicto de Souza, no bairro Campo dos Alemães, região sul de São José dos Campos.

A atividade aconteceu nesta quinta-feira (30), com participação de cerca de 600 pais de alunos. A ideia foi da diretora Mary Souza e proporcionou aos pais vivenciar um dia de aula, com os filhos e educadores, após a chegada do programa Escola Interativa à unidade.

Ao chegar para a reunião, os pais foram convidados a se colocarem no lugar dos filhos na sala de aulas. De posse de um tablet, cada um pode vivenciar uma aula de verdade e conhecer mais de perto como funciona o equipamento e seus programas pedagógicos. A ideia é que toda a comunidade escolar passe pela experiência até o próximo ano.

A EMEF Moacyr Benedito foi a quinta da rede municipal a ser beneficiada pelo programa, que une tecnologia e pedagogia para tornar as aulas mais dinâmicas e interessantes. A escola tem 950 alunos.

Para a diretora Mary Souza, este tipo de atividade aproxima o pai e a escola, e incentiva que ele acompanhe cada vez mais de perto o desempenho de seu filho. “Pretendemos fazer esta atividade em todas as reuniões de pais até o próximo ano”, disse a diretora.

Para Vânia de Oliveira Lúcio, mãe de Giovanna, aluna do 5º ano da escola, a iniciativa vai ajudar os pais a participarem ainda mais da vida escolar dos filhos. “Eu estou aprendendo junto com ela no tablet.”

Angela de Fátima e Silva, mãe de Emanuel, também do 5º ano, disse que a iniciativa proporcionou aos pais conhecerem melhor o programa para poderem acompanhar os filhos em casa.

Para o secretário de Educação,  os recursos da Escola Interativa são de toda a família. “Nós queremos que a família aprenda junto.”

O programa Escola Interativa, que está sendo implantado de forma gradual em toda a rede municipal, vai beneficiar todas as 47 escolas do Ensino Fundamental até o final do próximo ano. Serão mais de 600 salas interativas em toda a rede municipal.

Em três meses de implantação, já são 14 escolas e mais de 11.500 estudantes contemplados pelo programa.

Publicado em 14/09/2015

Escola Interativa chega à primeira escola de Educação Infantil – 26/09/2014


O programa Escola Interativa chegou neste sábado (27) à primeira unidade de Educação Infantil da rede municipal de São José dos Campos. A escolhida como modelo para a implantação do novo sistema de aprendizagem nesta faixa etária foi a Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Professora Jane Palumbo, no bairro Dom Pedro I, região sul da cidade.

O programa, uma inovação no aprendizado que une pedagogia e tecnologia, já é realidade nas escolas de Ensino Fundamental desde 26 de julho, quando a EMEF Mariana Teixeira Cornélio, no Jardim Telespark, região norte, foi contemplada com o sistema. Até agora, oito escolas foram beneficiadas com 116 salas interativas e 6.955 estudantes do 1º ao 9º ano estão utilizando a nova ferramenta.

Na Educação Infantil, serão 67 escolas beneficiadas, todas integrantes da rede direta da Prefeitura. Cada uma receberá uma sala equipada com servidor, lousa digital e projetor, batizada de ‘Sala de Leitura Interativa’, e 30 tablets para utilização dos estudantes dentro do ambiente escolar. Diferente do Ensino Fundamental, os alunos das escolas de Educação Infantil não levarão os tablets para casa.

Entre as atividades que poderão ser desenvolvidas pelos professores estão trabalhos relacionados à literatura infantil e à música, entre outros.

“Ficamos muito satisfeitos quando soubemos que nossa escola foi escolhida para ser a unidade modelo do programa na Educação Infantil. Essa ferramenta vai abrir as portas para um novo aprendizado. Aqui, os pais são muitos participativos, e tenho certeza que serão nossos parceiros”, disse Luciana Maria do Nascimento Rodrigues, diretora da EMEI Jane Palumbo, que atende a 787 crianças de 3 a 5 anos.

“Além de possibilitar o desenvolvimento de novas atividades, a Escola Interativa na Educação Infantil vai servir como um treinamento para quando estas crianças chegarem ao Ensino Fundamental”, disse o secretário Municipal de Educação.

Ensino Fundamental

O programa Escola Interativa, que está sendo implantado de forma gradual em toda a rede municipal, alcançou neste sábado a nona escola no Ensino Fundamental – a EMEF Vera Lúcia Carnevalli Barreto, em Santana, região norte. Na unidade, 1.049 estudantes do 1º ao 9º ano são beneficiados. A escola contará com 16 salas interativas, que começarão a ser utilizadas a partir desta segunda-feira (29).

Cada sala de aula será equipada com os seguintes recursos tecnológicos: servidor, notebook do professor, tablet do aluno, projetor interativo integrado com os demais equipamentos e conteúdo virtual obtido por meio de acesso à internet via wifi.

Os tablets de cada aluno são monitorados pelo professor em sala de aula e, sempre que necessário, podem ser bloqueados e inutilizados no caso de furto ou roubo do equipamento. O desbloqueio é possível somente por meio da Secretaria de Educação.

Antes da entrega dos tablets aos alunos, os pais participam de reuniões na escola para apresentação do programa, conhecimento das regras de utilização correta do equipamento e uso ético da internet.

Publicado em 14/09/2015

Programa Escola Interativa avança e chega a 100 salas – 19/09/2014


O programa Escola Interativa, que alcançará todas as escolas da rede municipal de São José dos Campos até 2016, atingiu um marco no sábado (20): já são cem as salas interativas instaladas, com quase 5.500 estudantes do 1º ao 9º Ano beneficiados com tablets e inseridas no programa.

A primeira a receber o programa foi a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Mariana Teixeira Cornélio, no Jardim Telespark, região norte, no final de julho. Desde então, mais seis unidades da rede municipal foram beneficiadas com o novo sistema de aprendizagem que une tecnologia e pedagogia.

Para o prefeito, os recursos da Escola Interativa vão ajudar os estudantes em seu futuro no mercado de trabalho. “Nós queremos que as nossas crianças saiam da escola sabendo usar essa tecnologia, que lá na frente vai fazer a diferença, quando elas forem procurar um curso técnico, fazer faculdade, ou mesmo procurar emprego”, disse o prefeito.

Na EMEF Geraldo de Almeida, no bairro Pousada do Vale, região leste, os alunos do 5º ao 9º ano também receberam seus equipamentos. “Este programa só vem a acrescentar. É a tecnologia que a escola precisava. Os professores já estão usando e as aulas estão mais prazerosas”, disse a diretora Débora Nunes.

Angela de Oliveira, professora de Língua Portuguesa da EMEF Elizabete de Paula Honorato, no Jardim Mariana I, região leste, avaliou o programa como um salto de qualidade da educação no município. “O programa facilita o trabalho com recursos ao vivo na aula.”

A estudante Nicole Sena, 13 anos, está no 8º Ano da EMEF Homera da Silva Braga, no Jardim Morumbi, região sul, e fez parte do terceiro grupo de estudantes beneficiados com a Escola Interativa. “Eu sei da responsabilidade que é receber este tablet. Acho que vai ajudar nas aulas, e temos que tomar muito cuidado com ele.”

O Programa

O Programa Escola Interativa será implantado em toda a rede municipal de ensino de forma gradual até 2016. Cada sala de aula será equipada com os seguintes recursos tecnológicos: servidor, notebook do professor, tablet do aluno, projetor interativo integrado com os demais equipamentos e conteúdo virtual obtido por meio de acesso à internet via wifi.

Os tablets de cada aluno são monitorados pelo professor em sala de aula e, sempre que necessário, podem ser bloqueados e inutilizados no caso de furto ou roubo do equipamento. O desbloqueio é possível somente por meio da Secretaria de Educação.

Antes da entrega dos tablets aos alunos, os pais participam de reuniões na escola para apresentação do programa, conhecimento das regras de utilização correta do equipamento e uso ético da internet.

Publicado em 14/09/2015

Programa Escola Interativa chega a quinta escola de São José – 13/09/2014


A Escola Interativa chegou neste sábado (13) a quinta escola da rede municipal de São José dos Campos. Dessa vez, 520 alunos da EMEF Professor Moacyr Benedicto de Souza, no Campos dos Alemães, foram inseridos no programa.

A iniciativa da Prefeitura tem a proposta de unir tecnologia e conhecimento pedagógico dentro da sala de aula. Os alunos e professores fizeram apresentações de dança, vídeo e música para receber o programa. Para a diretora da escola, Mary Aparecida de Souza, a Escola Interativa vai aprimorar o processo de ensino e aprendizagem. “As aulas vão ficar melhores e muito mais dinâmicas”, disse.

O prefeito lembrou a importância do envolvimento de alunos, professores e pais. “A tecnologia sozinha não faz nada. Precisamos da motivação dos professores, da vontade de aprender dos alunos e do acompanhamento dos pais e mães”, afirmou durante a cerimônia.

Segundo o secretário de Educação, a Escola Interativa vai permitir que os alunos e professores trabalhem novos conceitos educacionais. “Nossa rede de ensino, que já boa, vai ter um salto de qualidade com o programa”, comentou.

O aluno Angel Gabriel de Souza estava ansioso para receber o tablet, uma das ferramentas do programa. “Acho que as matérias vão ficar mais legais, com mais gente concentrada e sem atrapalhar a aula”, disse. “Tudo que vem para melhorar a educação é bem vindo”, completou o pai dele, Giovani Carvalho.

Programa

Além da escola Moacyr Benedicto de Souza, outras quatro unidades modelo já foram inseridas no programa Escola Interativa. A primeira foi a EMEF Mariana Teixeira Cornélio, no Jardim Telespark. Depois vieram as escolas Elizabete de Paula Honorato, no Jardim Mariana I; Homera da Silva Braga, no Jardim Morumbi; e Silvana Maria Ribeiro de Almeida, no Jardim Cerejeiras.

Até novembro mais de 11.000 alunos serão beneficiados. No ano que vem o programa chegará a todos o Ensino Fundamental. Serão 605 salas de aula, em 46 escolas, equipadas com projetores interativos, servidores e internet wi-fi, além dos tablets dos alunos. Uma rede de fibra ótica irá conectar 169 unidades educacionais.

Publicado em 14/09/2015

Carreta da Escola Interativa faz inclusão digital nos bairros – 09/09/2014


Desde quarta-feira, 10, a carreta do Programa Escola Interativa vem percorrendo bairros de São José dos Campos para promover oficinas de inclusão digital. A primeira ativadade foi realizada na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Mercedes Carnevalli Klein, no Jardim Satélite, região sul da cidade.

A escola recebeu durante esta semana visitantes entre 15h e 21h. No sábado e domingo, as visitas ocorrerão das 8h às 14h. A carreta reproduz o ambiente de uma sala da Escola Interativa. O programa da Prefeitura une educação e tecnologia com ajuda de equipamentos, como tablets e projetores interativos.

Na carreta serão oferecidas oficinas de inclusão digital gratuitas para a comunidade. O evento também vai contar com atividades de formação cidadã e profissional, além de atividades culturais, de recreação e lazer.

Escola Interativa

O Programa Escola Interativa será implantado em toda a rede municipal de ensino de São José dos Campos de forma gradual até 2016. Cada sala de aula será equipada com servidor, notebook do professor, tablet do aluno, projetor interativo integrado e internet wifi.

O programa já foi implantado em quatro escolas-modelo: Mariana Teixeira Cornélio, Elizabete de Paula Honorato, Homera da Silva Braga e Silvana Maria Ribeiro de Almeida.

Publicado em 14/09/2015

Escola Interativa beneficia mais 530 alunos de unidade da zona norte – 09/09/2014


Cerca de 530 alunos do 1º ao 5º anos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Mariana Teixeira Cornélio, no Jardim Telespark, região norte de São José dos Campos, receberam na noite dessa segunda-feira (8) os tablets do programa Escola Interativa.

A unidade, primeira da rede municipal a implantar o novo sistema de ensino e aprendizagem que une tecnologia e pedagogia funciona desde o começo de agosto com 16 salas interativas. Os 452 estudantes do 6º ao 9º anos já completaram o primeiro mês de uso dos equipamentos durante as aulas.

O secretário de Educação disse que a chegada do novo modelo vai dar condições ao professor, enquanto agente do processo de aprendizado, de melhorar ainda mais a qualidade do ensino oferecido no município.

A ampliação do programa Escola Interativa continuará nesta semana. As escolas Elizabete de Paula Honorato, no Jardim Mariana I, na região leste; Homera da Silva Braga, no Jardim Morumbi, região sul; e Silvana Maria Ribeiro de Almeida, no Jardim Cerejeiras, região leste, farão a entrega de tablets aos alunos dos anos iniciais (1º ao 4º).

O Programa Escola Interativa será implantado em toda a rede municipal de ensino de São José dos Campos de forma gradual até 2016.

 

Publicado em 14/09/2015

SJC amplia o programa Escola Interativa nas 4 escolas-modelo – 06/09/2014


A Prefeitura de São José dos Campos amplia a partir desta semana o programa Escola Interativa nas quatro unidades da rede que serviram de modelo para a implantação do novo método de ensino e aprendizagem.Primeira a implantar o programa, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Mariana Teixeira Cornélio, no Jardim Telespark, região norte, atua desde o começo de agosto com 16 salas interativas, atendendo aos alunos do 6º ao 9º Anos. A partir desta semana, os estudantes do 1º ao 5º também passam a contar com o programa, totalizando 982 alunos beneficiados.

Também nesta semana o programa será ampliado para alunos do 1º ao 4º anos nas escolas Elizabete de Paula Honorato, no Jardim Mariana I, região leste, Homera da Silva Braga, no Jardim Morumbi, região sul, e Silvana Maria Ribeiro de Almeida, no Jardim Cerejeiras, região leste.

O Programa Escola Interativa será implantado em toda a rede municipal de ensino de São José dos Campos de forma gradual até 2016. Cada sala de aula será equipada com os seguintes recursos tecnológicos: servidor, notebook do professor, tablet do aluno, projetor interativo integrado com os demais equipamentos e conteúdo virtual obtido por meio de acesso à internet via wifi.

No último sábado, cerca de 1.500 pais e responsáveis estiveram na Escola de Ensino Fundamental Professora Silvana Maria Ribeiro de Almeida (Rua 4 de Março, 10), no Jardim Cerejeiras, região leste de São José dos Campos, para acompanhar os filhos na entrega dos tablets do programa Escola Interativa. Foi a 4ª escola da rede a implantar o novo sistema de aprendizado que une tecnologia e pedagogia.
Foram entregues 489 tablets para os alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental, totalizando 15 salas interativas. A cerimônia começou às 9h com apresentações musicais dos alunos e contou com a presença do prefeito, do secretário de Educação e demais autoridades do município.
O secretário de Educação ressaltou o bom desempenho da escola em avaliações recentes e afirmou que a chegada do programa na unidade irá melhorar ainda mais a qualidade do ensino. “A educação com lousa e caneta é um modelo que está se esgotando. Para melhorar, precisamos investir e melhorar a estrutura.”
A diretora da escola, Maria Angélica da Silva, disse ter certeza que a nova tecnologia irá melhorar ainda mais a qualidade da educação na unidade.
Durante a cerimônia, o prefeito anunciou que os alunos do 1º ao 4º ano também receberão seus tablets, já no próximo dia 11. “Estamos dando um salto de qualidade na educação de São José dos Campos.”